quinta-feira, 9 de julho de 2015

I'm fat. I hate me.

Enquanto eu devorava um pudim de chocolate no sofá, me esquecendo de todo o resto, algo na tv me chamou a atenção. Era a novela das seis, onde aquela garota com anorexia passou mal por não comer nada há dias. Justo enquanto eu engolia aquela droga de pudim.Senti tanta vergonha me mim. De todo aquele excesso. 
Na novela, lógico ela vai se curar ao invés de virar uma compulsiva inútil. Mas eu não.
Eu ignoro, ignoro e ignoro. E ás vezes como agora, ou então á noite, eu me arrependo por tudo que comi mas já é tarde, então prometo parar de comer amanhã. Só que no dia seguinte, eu faço a mesma coisa. Foi assim que eu cheguei aos 52 kg. Foi assim que minhas roupas deixaram de me servir... E eu me odeio porque a culpa é toda minha. Agora por exemplo, estou tão cheia que sinto que vou vomitar, mas não consigo. Essa sensação me causa pavor, desespero e uma vontade ridícula de chorar.
Não consigo tomar laxantes ou vomitar há meses, e isso é horrível porque mesmo  já estando no fundo do poço, eu continuo cavando. Não posso mais viver desse jeito. Odeio a comida. Odeio essa relação totalmente extremista que criei com ela. Odeio não conseguir simplesmente ser normal ou mediana como a maioria das pessoas. 
Essa montanha russa que sou destrói meu corpo, minha mente, minha alma... sinto que o pouco de sanidade que ainda me resta escorre pelo ralo e eu não consigo me levantar da porra do sofá pra correr atrás do que já perdi. Eu me odeio. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ninguém é obrigado a entender o que há de errado comigo ou com qualquer outra pessoa;
Todos temos fantasmas e monstros escondidos embaixo da cama, então porque fingir tanto?!
Se não pode compreender o que acontece aqui, é melhor ir embora sem dizer nada...não preciso de mais julgamentos.