sexta-feira, 3 de julho de 2015

Eu não tenho nenhum amigo. É uma descoberta muito triste.

As aulas acabaram, mas ainda não tenho os resultados das provas /trabalhos finais. Tenho um último pra entregar no dia 10, e nem sei do que se trata. Sei que fui mal em tudo mas isso parece irrelevante agora. Como todo o resto. Passo o dia na frente do computador revendo filmes ou descobrindo algum novo. Entre isso, idas constantes a cozinha e "tarefas domésticas" pra que me deixem em paz.
A depressão está de volta e bem, eu sabia que isso iria acontecer. Sabia também que ignorar os meus pensamentos e simplesmente comer, resultaria no trágico e desnecessário aumento de peso. Com a chegada das férias não saio de casa para nada, não vejo ninguém além da minha família, não faço nada além de ficar o dia todo vagando pela internet e ignorando minha vida (o que já vinha fazendo há tempos). Não tenho mais falado com ninguém, nem pela internet e sequer sentiram minha falta ou me chamaram pra ver se estou viva...
Logo agora que aqueles pensamentos horríveis voltaram. Logo agora que me sinto tão sozinha a ponto de quase enlouquecer. Entre momentos relativamente tranquilos, de fúria e extrema tristeza, eu tento continuar viva. E o que me deixa pior, é saber e ver que estou só e que as pessoas simplesmente não se importam. Enquanto eu sempre tentei estar presente e ser uma boa amiga (apesar de não ser boa em nada).

Um comentário:

  1. Ester, eu não me esqueci de ti, não mesmo.
    Sei que sumi e estou sendo uma péssima amiga ultimamente... E não vou tentar me justificar, só que as coisas ficaram um pouco difíceis por aqui :(
    Não se sinta sem importância, porque para mim você importa, eu me preocupo. E acho que não te procurei esses dias porque acabaria é te afundando mais, visto meu estado detestável.
    Estou te devendo um e-mail, tentarei escrever quanto antes, a verdade é que não sei sobre o que falar... Não sei como falar, então se quiser me escrever antes, falar sobre como as coisas estão aí, acho que será melhor, desabafe... eu sempre vou escutar.
    Desculpe meus sumiços.
    E por favor, cuide-se.

    ResponderExcluir

Ninguém é obrigado a entender o que há de errado comigo ou com qualquer outra pessoa;
Todos temos fantasmas e monstros escondidos embaixo da cama, então porque fingir tanto?!
Se não pode compreender o que acontece aqui, é melhor ir embora sem dizer nada...não preciso de mais julgamentos.