sábado, 30 de agosto de 2014

A vida parece uma estação distante agora.

F-A-T! É só o que ouço em minha cabeça o dia todo e mesmo assim, ainda não parei de comer. Me sinto péssima. Péssima por ter horror a engordar meia grama sequer, péssima por continuar comendo sem pensar no quanto como e só depois me arrepender. Péssima por repetir tudo isso todos os dias...
Novembro chegando, o curso, de alguma forma a falta de terapia, de dinheiro, de vontade de viver... tudo isso tem me deixado paralisada (literalmente). É como se eu estivesse sonhando e tentando acordar, parece que estou fora de mim, assistindo a minha própria vida que não sai do lugar. 
Não tenho feito nada útil. Acordo, como horrores no café da manhã, faço umas tarefas domésticas, fico perambulando pela casa tentando me lembrar do que preciso fazer, como porcarias, tomo banho, vou para o curso (atrasada como sempre), fumo uns cigarros, não presto atenção em nada, volto pra casa e como horrores (de novo), fico fazendo nada na internet até de madrugada (ao invés de estudar), tomo banho e me deito (que é quando me lembro de tudo que devia ter feito durante o dia mas não fiz) deixo essas coisas pro dia seguinte, e bem, o dia seguinte é igual a todos os outros... E droga! Eu não me levanto, não mudo, não saio de casa, não fecho a boca! Eu vou ficando, ficando... empurrando a vida com a barriga e deixando tudo para mais tarde, para amanhã quem sabe...
E porra, porque eu não faço nada? Porque não paro de andar em círculos e dou um fim a isso tudo? Eu não sei. Só sei que me sinto presa, sem forças e por mais que eu grite por liberdade internamente, fazer qualquer coisa pra tentar mudar isso agora parece impossível. Eu sei, é loucura. Talvez eu esteja mesmo ficando louca.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Aquele desespero de sexta á noite que te inunda por inteiro e nem te deixa respirar direito

Outra vez estou nessa agonia de tentar correr atrás dos estudos do semestre que já passou, daqueles trabalhos atrasados, com a imensa culpa por ter comido demais ou por não ter um emprego, nem amigos de verdade...
Eu já disse que detesto o facebook? pois bem. Eu detesto. Ele só serve para mostrar o quanto os outros são felizes e sociáveis. O quanto estão vivendo e curtindo a vida enquanto eu estou aqui, comendo, vomitando, abandonando empregos, desistindo de tudo e me matando aos poucos...
Se alguém souber como sair desse buraco me diga, porque tudo que fiz até agora foi cavar mais fundo.
Acho que já disse isso inúmeras vezes mas insisto, a depressão é um monstro que se esconde nas sombras e nunca vai embora. Está sempre ali, procurando um motivo, qualquer que seja para entrar e fazer tudo se tornar um caos. Por mais que eu tenha me estabilizado por umas semanas e tentado encarar as coisas de outra forma não adiantou porque ela voltou e estou outra vez perdida e sozinha.
Sabe aquela vontade de mandar tudo pro caralho? De atear fogo na casa ou se atirar de uma escadaria pra ver se alguém percebe o quanto é horrível tudo isso? Ou então de sei lá, se internar numa clinica e viver dopada pra ver se assim te deixam em paz e talvez parem de te cobrar tanto?
Não é a primeira vez que penso nisso, e pelo visto, não será a última.

domingo, 10 de agosto de 2014

Sim. Se eu realmente pudesse escolher, não estaria passando por tudo isso...

Ontem foi o aniversário da minha irmã mais nova e teve uma festa aqui em casa (que eu ajudei a preparar) e sim...  eu comi demais. Por alguns segundos, no meio de toda aquela gente, dos assuntos inacabados "esquecidos" e é claro, de toda aquela comida, eu me senti confortável, mas por apenas alguns segundos. Depois vieram aqueles pensamentos, aquela sensação de que você vai explodir e a vontade de vomitar...
Eu odeio tudo isso.
Tenho tentado desviar o foco mas voltei a comer e a me sentir um lixo, preciso parar com isso. O vestibular está cada vez mais perto e eu não posso surtar agora...
Já estou há sei lá, uns dois meses sem terapia (parei de ir por falta de grana) não avisei a ninguém (nem a psicóloga) que pelo visto se acostumou com meu jeito de desaparecer do nada. Espero não precisar voltar.
Meus dias estão um tédio. Parei de trabalhar de vez e tenho que cuidar da casa (já que todos trabalham, menos eu). Eu gosto de ficar em casa sabe mas é ruim se sentir inútil e passar o dia fazendo tarefas domésticas, sem contar a falta de dinheiro e as pessoas te chamando de vagabunda... ás vezes eu queria ser abduzida ou algo tipo. Sumir... sabe?
Fiquei os últimos meses (estou ainda) no automático, e com o FODA-SE ligado. Mas nem sempre funciona.
O acontece é que não estou feliz nem triste. Eu simplesmente não estou nesse momento. Entrei naquele patético e lento período de "ver" as coisas com outros olhos, adquirir manias de limpeza para me ocupar e me acostumar novamente com a maresia e a incerteza que nos espera em todo recomeço. Porque afinal, minha vida se resume a isso... recomeços...