terça-feira, 30 de abril de 2013

Um fracasso ambulante

Mais um dia, um dia inútil, um dia igual a todos os outros, mais um dia em que eu continuei no mesmo lugar sentindo a mesma merda.
Queria me esfaquear, me jogar na frente de um carro, queria quebrar todas as janelas e espelhos,
Queria gritar até arrebentar minha garganta, queria rasgar meu peito e arrancar essa coisa que me não me deixa respirar...
Eu queria um abraço apertado, queria fugir pra bem longe, queria morrer...mas tudo que faço é engolir todo esse ódio que me arde o peito, descontar toda a raiva do mundo em mim enquanto todos dormem e ficar perambulando pela casa sem rumo, sem solução...
Estou simplesmente esgotada... 




domingo, 28 de abril de 2013

'Carta de apresentação

Na verdade, odeio falar sobre mim, é uma coisa extremamente difícil e complicada então vou falar um pouco sobre o que passei...
Sou 'ana' desde os 15 anos, com muitos altos e baixos, idas e vindas, mas sempre acabo no mesmo lugar...
Boderline, deprimida, fracassada...enfim...depois de uma crise "depre"(a que ainda estou nela), tive que começar a fazer tratamento...é complicado isso, eu não queria, mas queria. Concordei com isso pra deixar minha família mais tranquila (já que começaram a desconfiar que havia algo errado algum tempo).
O que mais me deixa triste nisso tudo? È ver minha família envolvida nisso (o que fica impossível depois de um tempo), e por mais que o meu relacionamento com eles não seja dos melhores, não gosto de vê-los se preocupando e sofrendo por isso(só faz com que eu fique pior).
Eu quero o que toda garota quer, quero me olhar no espelho e pelo menos não odiar o que vejo, quero alguém que me ame e que me apoie, quero receber flores, quero sorrir...sei que para algumas pessoas isso não é nada demais, mas para mim tem sido...tem sido um sacrifício acordar, um sacrifício sair de casa, foi um sacrifício criar esse blog...
Então espero que aqui eu encontre meninas( e meninos quem sabe) que me entendam e que não me abandonem como outras pessoas fizeram...
Eu não escolhi ser assim, ás vezes penso em deixar tudo pra trás e fingir que não tem nada de errado comigo mas eu nunca consigo; já não tenho mais forças pra fazer nada sozinha...
Espero conseguir chegar na minha meta, espero conseguir me olhar no espelho e me ver bela, espero conseguir sorrir de novo e espero conseguir voltar a viver...
Desejo o mesmo a todas vocês...e se precisarem de mim é só dizer.
Abraços,
Amie.

PS: adoro cartas, por isso o título...


  

Querido Charlie,

Acho que nunca me senti tão sozinha como me sinto agora.
Às vezes é como se eu estivesse em uma outra dimensão escura, fria e densa.
Eu os vejo, todos eles, mas não os sinto perto...não me sinto parte de algo ou alguém.
Não me lembro mais como é um abraço quente ou mãos entrelaçadas, não me lembro mais como é deitar na grama e esquecer todo o resto, não me lembro mais das cores, nem de como era deitar no seu peito e adormecer ouvindo seu coração...eu nem sequer me lembro como vim parar aqui.
Eu perdi minhas memórias, as melhores que eu tinha, e agora tudo que tenho é cheiro de cigarro e sangue, garrafas de vodka vazias, um punhado de sonhos destruídos, ódio, pesadelos e solidão.Eu só quero ir embora, ás vezes parece que vou explodir.
Ultimamente tudo me parece uma oportunidade para ir...
Os carros em alta velocidade cruzando a rua, a janela daquele andar, a linha de trem, o lago...penso nisso o tempo todo, me parece a única solução agora e mesmo sabendo que é errado, não sei mais por quanto tempo vou aguentar ficar desse jeito.
Amie.